staking de criptomoedas, criptomoedas, criptoativos, mineração, investimentos

Staking de criptomoedas: tudo o que você precisava saber!

O stacking de criptomoedas é uma prática que vem ganhando cada vez mais destaque entre os investidores presentes no universo do mercado financeiro e de cripto. Entretanto, ainda existem diversas dúvidas e receios por parte de algumas pessoas.

Neste artigo, iremos falar tudo o que você precisa saber sobre o staking de criptomoedas para que não existam quaisquer dúvidas. Boa leitura!

O que são as criptomoedas?

Explicando de forma simplificada, a criptomoeda é uma espécie de dinheiro, como outras moedas presentes no nosso dia a dia. A diferença é que ela é totalmente digital e não é emitida por qualquer tipo de governo, como o dólar ou o real, por exemplo.

As criptomoedas são vistas por muitas pessoas como uma revolução na forma de realizar transações, da mesma forma que os e-mails revolucionaram a maneira do ser humano de se comunicar à distância de forma rápida e imediata.

A Bitcoin foi a pioneira e é uma das mais populares, mas existem diversas outras criptomoedas disponíveis no mercado.

Com as criptomoedas, é possível transferir fundos de A para B em qualquer lugar do mundo sem a necessidade de uma terceira parte para auxiliar no processo.

As três principais funções das criptomoedas são:

  • servir como meio de troca, facilitando transações comerciais;
  • funcionar como reserva de valor, com o objetivo de preservar o poder de compra do proprietário no futuro;
  • ser utilizada como unidade de conta, quando cálculos econômicos e produtos são precificados em função dela.

De acordo com especialistas, as criptomoedas ainda não adquiriram o status de unidade de conta. Isso ocorre por conta da grande volatilidade dos preços delas, por enquanto.

Como funciona o staking de criptomoedas?

O staking vem surgindo como uma maneira simples de o investidor obter renda passiva através do armazenamento de criptomoedas em uma wallet. Traduzido para o português, o termo significa “empilhamento” e é basicamente isso: conforme o investidor vai armazenando criptomoedas, após um período determinado, ele receberá uma taxa de juros.

Existem duas maneiras distintas para realizar o staking de criptomoedas: através de uma wallet ou dispositivo físico específico que precisa ser adquirido pelo investidor ou através do uso de uma staking pool.

Quais são os tipos de staking de criptomoedas?

Existem três tipos de staking de criptomoedas. São eles:

Grupos de Staking

São grupos de investidores que se unem para aumentar suas possibilidades como validadores de blocos. Dessa forma, eles unificam todos os seus fundos para que possam ter maior poder de staking de criptomoedas.

Assim, ao receberem suas recompensas, os ganhos são divididos entre todos os que participam do grupo proporcionalmente aos fundos investidos individuais.

É uma ótima opção para pequenos e novos usuários participarem do staking de criptomoedas, independentemente da quantidade de ativos que eles possuem. Os grupos de staking contribuem para a descentralização da rede.

Cold Staking

Esse termo diz respeito ao staking de criptomoedas feito através de uma carteira fria, ou seja, um hardware que não fica conectado permanentemente na internet.

Algumas Blockchains permitem o Cold Staking, possibilitando que os investidores mantenham seus fundos offline, aumentando a segurança. É a melhor escolha para aquelas pessoas que possuem grandes quantidades de criptomoedas.

Provedores de Staking

É uma modalidade de staking de criptomoedas que permite às pessoas oferecerem um serviço dedicado aos investidores. Entretanto, o retorno oferecido por essa modalidade depende da comissão que os provedores cobram (pode variar entre 2% até 50% das recompensas).

Vantagens e desvantagens do staking de criptomoedas

Realizar o staking de criptomoedas oferece diversas vantagens para o investidor, mas, assim como qualquer outra forma de investir, tem as suas desvantagens também. 

Vantagens

  • O consumo de energia elétrica e de recursos físicos é bem menor se comparado à mineração;
  • Como as partes envolvidas têm bastante interesse em manter a integridade da rede, a segurança nas operações de staking de criptomoedas é bem alta;
  • Blockchains usando PoS (Proof-of-Stake) são muito mais rápidas e podem escalar mais rapidamente;
  • É uma ótima opção para que o investidor tenha um fonte mais fácil de receita passiva sem a necessidade de gastar muito dinheiro com equipamentos para a mineração de criptomoedas;
  • Stake pools podem ajudar os proprietários da criptomoedas a mesclar recursos para aumentar as chances de validar blocos e receber recompensas;
  • Não há necessidade de ter qualquer experiência ou conhecimento de negociação para começar a realizar o staking de criptomoedas.

Desvantagens

  • Possível centralização, já que as pessoas que acumulam muitas criptomoedas podem ter mais influência sobre a rede;
  • Os preços das criptomoedas ainda são muito voláteis, podendo ter a possibilidade de desvalorização;
  • O staking com algumas criptomoedas pode exigir que elas fiquem “presas” por períodos definidos.

Agora que você entende mais sobre o conceito de staking de criptomoedas, que tal começar a dar os primeiros passos no mundo dos investimentos?

Quer saber mais sobre o universo da mineração das criptomoedas e dos investimentos no Brasil e no mundo? Confira o perfil da Liqi no Instagram.

 

Quer receber os nossos conteúdos e ficar por dentro de tudo o que acontece no universo da Tokenização?

Cadastre-se para receber os conteúdos por email

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.